sábado, 19 de agosto de 2017

PREFEITO IRIS REZENDE E MARCELO COSTA SÃO COVARDES!


Não há outra definição que não seja essa, ainda muito amena, para denominar o que o prefeito e o secretário da educação tem feito em relação à educação em Goiânia.

Primeiro, já no início do ano, as escolas e principalmente os CMEIs estavam funcionando em regime de revezamento. Ou seja, negam à criança esse direito.

Não cumpriam e nem cumprem com o piso salarial para as/os professoras/es.

Não cumprem com a data-base das/os administrativas/os, garantida por lei, conquista da greve de 2015 e deveria ser pago em janeiro.

Retiraram o direito adquirido no acordo da greve de 2015, das/os auxiliares substituírem professoras/es.

Não convocaram os aprovados no concurso, enquanto escolas necessitam de profissionais.

Entre outros problemas, tais como assaltos recorrentes nas escolas e merenda escassa e de baixa qualidade oferecida aos alunos/as, escassez de material pedagógico.

Diante de todos esses problemas, o secretário de educação  se recusou a sentar com o Simsed, sindicato de luta, para sentar com o SINTREGO e traficar com os direitos da categoria, uma típica armação comandada pelo secretário de educação.

Dessa maneira, a categoria não encontrando outra saída, decidiu por deflagrar uma greve, como uma necessidade objetiva de resistir a toda essa opressão.

A greve foi muito difícil, mas ainda assim conseguimos o piso real pra  categoria e uma data base reduzida para os administrativos, além do secretário se comprometer em reuniao com o MP e com o Simsed, que investiria 10 milhões nas escolas. O movimento grevista também pressionou para a assinatura do TAC para convocação de mais concursados.

Os trabalhadores que lutaram enfrentaram tiros, spray de pimenta, cacetete. Enfrentaram também parte da categoria que não achou que era a hora, entre outros desafios.

Após a greve, o prefeito cortou o ponto dos trabalhadores como forma de punição!

O Simsed entrou com ação contrária à essa arbitrariedade. O resultado foi simplório, determinava o pagamento de um salário mínimo por mês cortado. Porém, o prefeito não cumpriu essa liminar.

Deixando  trabalhadoras (es) passar dois meses com corte de ponto por terem ousado lutar, recebendo o valor líquido de 200 e até 33 reais!!

Pessoas que usam remédios controlados, que são mantenedores de suas famílias, que lutaram por todos! Muita covardia!

E o que o prefeito e o secretário fazem? Procuram meios de aprimorar na punição aos que lutam, enquanto a situação da educação não mudou, continua um CAOS!

Escolas e CMEIs continuam em revezamento de turmas;
a Merenda ruim; os 10 milhões que o secretário iria investir nas escolas que nunca chegaram; morosidade na convocação e para as posses dos concursados; entre outros problemas.

Enquanto isso o prefeito e sua corja, como o secretário, encenam mutirões de
enrolação e investem alto em propagandas mentirosas nos meios de comunicação, mais uma forma de enganar a população.

Isso é muita covardia!
É desumano!
Estão fazendo uma péssima administração, surrupiando os direitos básicos dos cidadãos com requinte de crueldade, com "aparência de cordeiro".

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

SIMSED JÁ FEZ O PEDIDO DE MULTA E PRISÃO DO SECRETÁRIO E DO PREFEITO


É importante informar que já entramos com a petição  da multa e a prisão do prefeito.

O SIMSED pediu a prisão do prefeito por ele incorrer no crime de desobediência, ao não cumprir com a decisão judicial.


O juiz havia intimado o SIMSED para falar sobre a legitimidade ativa, na ocasião aproveitamos para falar da desobediência dos representantes da prefeitura no cumprimento da determinação judicial.

Feito o pedido, aguardamos o posicionamento do juiz, porém a Justiça demora .

https://drive.google.com/file/d/0B3QC9ssvjiplSkNsTm9SSnNFbjg/view?usp=sharing





terça-feira, 1 de agosto de 2017

APROVADOS PROTESTAM NO MP CONTRA O FIM DAS CONVOCAÇÕES 01/08/2017

No dia 31 de julho aconteceu uma importante manifestação dos aprovados no Ministério Público.

Essa manifestação foi importante por dois motivos.  Primeiro, devido ao fato de ter ocorrido uma mobilização dos aprovados pela convocação, impedindo o esquecimento. Segundo, por demonstrar o posicionamento do Ministério Público sobre essa questão tão importante, já que vamos iniciar o semestre letivo e o caos continua.

Segundo o Ministério Público, o TAC está sendo cumprido e a prefeitura já preencheu todos os déficits com as últimas convocações. 

Daqui para frente, é um ato discricionário da administração a continuidade ou não da convocação ou a até a prorrogação do concurso. 

Em resumo, a prefeitura vai usar o  último processo seletivo simplificado que acabou de realizar para preencher o restante das vagas.

Mais do que nunca é hora de luta por mais convocações e pela prorrogação do concurso.