quinta-feira, 29 de junho de 2017

DIA DE LUTA CONTRA OS PACOTAÇOS ANTIPOVO DE TEMER BM / FMI!



Panfletagem no Terminal Padre Pelágio.

Horário: 17:30 h às 19 h.

Dia: 30.06.17 sexta-feira

SEGUNDA EDIÇÃO DO BAZAR EM SOLIDARIEDADE AOS TRABALHADORES COM PONTO CORTADO 02.07.17

Segunda edição do Bazar em Solidariedade aos trabalhadores em educação que tiveram o salário 
cortado, por punição do prefeito, porque eles fizeram greve em defesa de seus direitos 
e da educação!

Data: 02.07.17 domingo
Horário: 8h às 12h 
Local: Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz - Salão Paroquial
Endereço: Rua U-54, 2,  n104, Vila União.

CONTAMOS COM SEU APOIO! 
A LUTA CONTINUA , PREFEITO A CULPA É SUA!

INFORME SOBRE A REPOSIÇÃO!

O prefeito Íris Rezende e o secretário Marcelo continuam com a mesma posição punitiva. Recusam-se a dialogar com os trabalhadores.

Diante de nossas cobranças oficiais, o  Ministério Público intimou o secretário para tratar sobre o assunto. Nessa reunião, que aconteceu no dia 26 de junho, o secretário reafirmou que só devolverá o salário dos trabalhadores mediante às reposições, ou seja, à conta gotas.

Sendo assim, defendemos a resistência quanto à reposição somente mediante a devolução do salário, porque da forma como querem fazer, nem perceberemos o retorno de nosso suor. Vejam: 3 dias de reposição sendo pagos por mês,  sem o estorno do final de semana, e assim vai.

Em relação às ameaças de exoneração, o Simsed não espera nada de benéfico vindo desse governo reacionário do prefeito Íris Rezende, sendo assim, podemos esperar todo tipo de retaliação. 

Mas vale lembrar que não corremos esse risco, pois em nossa greve foram 26 dias úteis consecutivos, o que acrescentou-se  à reposição foram as paralisações que não ocorreram consecutivamente. Portanto, a nossa greve não caracteriza abandono de emprego.

Sobre o pagamento do corte, o Simsed entrou com ação na justiça e a prefeitura já foi intimada para responder. 

Diante da ausência de sentido de humanidade dessa gestão, em que não se abala ao ver tantos trabalhadores com seus familiares passando por necessidades básicas, simplesmente porque ousaram lutar por seus direitos, a única opção que temos é lutar incansavelmente.

Não desistiremos, se não fosse nossa persistente luta, não teríamos arrancado o piso, a convocação dos concursados e o ridículo reajuste das/os TAEs. Somente incautos ou pessoas com outros propósitos que atribuem essas conquistas aos comparsas do governo municipal e estadual, o lacaio SINTREGO.

Continuaremos na luta por nossos direitos e em defesa de uma educação pública , gratuita e que sirva ao povo !

ABAIXO ESSA GESTÃO DESUMANA DE ÍRIS REZENDE E MARCELO COSTA!

OUSAR LUTAR, OUSAR VENCER!


terça-feira, 27 de junho de 2017

INFORME DA REUNIÃO DOS ADMINISTRATIVOS DIA 24.06.17

No dia 24 de junho de 2017, foi realizada uma reunião do Simsed com a seguinte pauta:

• Informes Gerais;
• Debate e organização sobre as demandas das/os Trabalhadoras/os Administrativas/os da Educação (TAEs) e das/os Auxiliares de Atividades Educativas (AAEs), e;
• Outras questões.

Na reunião foi  debatida a importância das/os TAEs e das/os AAEs se manterem organizadas/os, mobilizadas/os e em unidade com as/os professoras/es.

Assim como, foi rememorada e elencada as várias conquistas provenientes das greves a esses segmentos da categoria.

Foi discutido sobre a necessidade de se refazer a pauta de reivindicações específica para esses seguimentos.

A reunião também foi muito importante no sentido de esclarecimentos quanto às questões referentes à reposição, ameaças de exoneração e  pagamento do corte do salário.

Quanto a esse debate, o Simsed defende que os trabalhadores da educação permaneçam firmes na decisão de só repor mediante o pagamento do salário.

Em relação às ameaças de exoneração, o Simsed não espera nada de benéfico vindo desse governo reacionário do prefeito Íris Rezende, sendo assim, podemos esperar todo tipo de retaliação. 

Vale lembrar que não corremos esse risco, pois em nossa greve foram 26 dias úteis consecutivos, o que acrescentou-se  à reposição foram as paralisações que não ocorreram consecutivamente.

Sobre o pagamento do corte, o Simsed entrou com ação no MP e já foi marcada uma reunião com o secretário da educação com a promotoria do CAO da Educação. 

Diante dessa pressão, o SINTREGO já saiu a frente para fazer mais uma propaganda enganosa como se estivesse negociando esse pagamento, mais uma vez "cavalgando na luta dos outros".

Foi discutido sobre o novo Processo Simplificado da SME, em que não fica claro os propósitos e a veracidade dos números. Ou seja, será necessário um pedido de explicação sobre tal Processo.

Finalmente, foram definidos e finalizados os últimos preparativos para a realização do Bazar Beneficente do Simsed.

Diante dos vários  debates, foram deliberadas as seguintes ações/atividades:

→ Produção de Vídeos por temas para publicação no blog, Facebook entre outros.

→ Boletim pós-greve.

→ Cartaz com Histórico das conquistas da categoria provenientes das greves, desde 2013.

→ Passagem em escolas que participaram totalmente da greve.

→ Orientar as escolas com funcionamento precário à procurar e denunciar no MP.

→ Construção da pauta de reivindicações específica das/os TAEs e das/os AAEs. 

→ Cobrar uma reunião com o secretário , Marcelo Costa.

→ Organizar panfletagem contras as "Reformas" anti-povo do governo Temer BM/FMI, no dia 30/06/2017, dia de Paralisação Nacional, das 17h às 19h.

A LUTA CONTINUA, PREFEITO A CULPA É SUA!

ABAIXO A GESTÃO TRUCULENTA E REACIONÁRIA DE ÍRIS REZENDE E MARCELO COSTA!



segunda-feira, 26 de junho de 2017

INFORME SOBRE A AÇÃO JUDICIAL SOBRE SUBSTITUIÇÃO DAS AUXILIARES

 A assessoria jurídica do SIMSED protocolou Ação Civil Pública contra o Município de Goiânia requerendo o direito das Auxiliares de Atividades Educativas que possuem curso superior em áreas pedagógicas de substituírem os professores em casos necessários (como Durante licenças). 

A juíza da 3 Vara da Fazenda Pública Municipal intimou o Município para se manifestar, no entanto, a Prefeitura nada respondeu no processo. Então, a juíza analisou e negou o pedido liminar do SIMSED por considerar que: em que pese a substituição *não ser ilegal*, é decisão da Prefeitura autorizá-la ou não.

 E ainda, que a autorização da substituição oneraria os gastos com pessoal da prefeitura. Na própria decisão a juíza salienta que a decisão liminar não vincula a sentença. Ou seja, agora o processo segue o seu trâmite, a Prefeitura e o Ministério Público ainda se manifestarão, podendo ocorrer da sentença ser favorável ao pedido do SIMSED. A assessoria jurídica do SIMSED informa também que recorrerá da decisão, tentando reverté-la.




INFORME DA REUNIÃO NO MINISTÉRIO PÚBLICO 21.06.17

No dia 21 de junho de 2017, tivemos uma reunião no Ministério Público, com a Promotora da Educação, Maria Bernadete, responsável pela execução dos processos inerentes ao cumprimento do Plano da Educação.

 A reunião foi positiva no sentido de que a Promotora ouviu nossa denúncia de que o corte de ponto, e que a não restituição integral dos pontos cortados implicará no não cumprimento do ano letivo, visto que mesmo que a prefeitura se proponha pagar os fins de semana cortados, não haverá interesse dos servidores por diversos fatores: financeiros e desgastes físicos e psicológicos dos profissionais, tendo que sacrificar os sábados de descanso. 

A promotora reconheceu as razões do nosso posicionamento e disse que irá solicitar que a SME apresente um plano explicando como irão garantir profissionais para o cumprimento dos dias letivos e da reposição das aulas das diversas disciplinas dos que fizeram Greve sozinhos na instituição. Denunciamos também que a Prefeitura não informou os critérios adotados para o corte de ponto, pois houve divergências de critérios, de acordo com o contra cheque dos servidores.

 Fizemos também a denúncia de que a SME está dificultando a posse dos Aprovados no último concurso que foram convocados, pois o Site de agendamento tanto da Junta Médica quanto do Paço Municipal estão constantemente indisponíveis, gerando atraso e inviabilizando a posse de várias pessoas. Sobre esta questão a promotora também disse que irá cobrar da prefeitura. A promotora se comprometeu a emitir um posicionamento sobre o posicionamento da prefeitura o mais breve possível.


quinta-feira, 22 de junho de 2017

BAZAR BENEFICENTE PARA AS (OS) TRABALHADORAS (ES) QUE TIVERAM O PONTO CORTADO! 25.06.17


Ajudem os trabalhadores da educação que estão com o salário cortado faltando o sustento de suas famílias!

Dia: 25.06.17 domingo 9:30 h às 12:30h 

Local: Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz - Salão Paroquial
Endereço: Rua U- 54, n 104, Vila União.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

CONTINUIDADE DAS AÇÕES JUDICIAIS CONTRA O CORTE DE PONTO!!


O SIMSED informa que têm procurado responder as dúvidas sobre os desdobramentos da greve realizada pela categoria da educação de 11 de abril a 22 de maio. Dentre elas podemos destacar que:

Ameaças de exoneração se não houver reposição como mais uma forma de obrigar as (os) trabalhadoras (es) a reporem os dias parados sem ter recebido por eles, ou, receber a medida que reponham dia a dia.,

Quanto a isso entendemos que a não reposição é a forma que temos para pressionar pelo pagamento integral dos dias em greve, tendo em vista as várias tentativas de diálogo sem sucesso, sendo que na primeira reunião, 09/06/17, marcada com o Secretario Marcelo Costa, ele não compareceu e uma comissão reuniu-se com o SIMSED, mas, não deu nenhuma resposta concreta. Assim, esta reunião foi remarcada para a semana seguinte, 12/06/17 e desta vez foi simplesmente desmarcada.  Além disso, temos feito vários atos políticos e jurídicos contra tudo isso. E percebemos que existe uma correlação de forças desigual no trato e manejo com a classe trabalhadora no sentido de penalizá-la por tentar exercer seu direito de GREVE e lutar por melhores condições de trabalho.

Diante desta ameaça, temos que analisar o contexto pelo qual a Rede Municipal de Educação de Goiânia está passando. Estamos vivendo uma situação de completa falta de funcionárias (os) e não acreditamos nessa possibilidade de exoneração, primeiro porque inviabilizaria a rede.

Além do mais não existe registros na história da educação brasileira de exoneração por greve ou não reposição em todo o Brasil, então, a prefeitura estaria fazendo algo inédito e totalmente questionável juridicamente. Mesmo, porque o STF já decidiu que greve, mesmo ilegal, não é abandono de emprego.

Assim quem decidir não repor, quando completar o 29º dia, trabalhe 01 (um) para não dar as condições legais para as alegações de exoneração.

Sobre o ponto de vista legal, não há como garantir que vai ter ou não exoneração, mesmo para o estágio probatório ou para o servidor efetivo.

Nós entendemos que não há base legal, mas é um entendimento. Nós sabemos que existe a súmula nº 319 do STF que diz categoricamente que a simples adesão à greve não constitui falta grave, ou seja, se não é falta grave, não pode ter exoneração. Outra coisa em relação a este tema é que os trabalhadores já foram punidos pelo corte de ponto. Portanto, não pode a prefeitura punir duas vezes os trabalhadores pelo mesmo fato (adesão à greve).

Mas o judiciário entende de forma "livre". Temos o livre convencimento do juiz. Então, não há como assegurar que iremos ganhar 100%. Só acredito que a Lei e a jurisprudência do STF (corte máxima do Brasil) asseguram que não é falta grave pela simples adesão à greve.

Lembrando que cada vez mais a SME vai tentar todas as formas possíveis de obrigar essa reposição da forma como desejam e assim se utiliza do discurso legalista de advogados que os servem, como o sr. Anderson, que, obviamente é contratado para defender os interesses do patrão.

Vale destacar que o DIREITO não é uma ciência neutra o que pode se ter considerações diferentes sobre um determinado contexto, como o da GREVE. O lado do patrão, no caso PREFEITO DE GOIÂNIA e o lado das (os) trabalhadoras (es).

Portanto, reforçamos que LUTAR NÃO É CRIME!
E cada servidora (r) poderá acompanhar o andamento da Ação Civil Pública proposta pelo SIMSED, Número 5171574.31.2017.8.09.0051, que pode ser consultada pelo site www.tjgo.jus.br.

terça-feira, 20 de junho de 2017

REUNIÃO DOS ADMINISTRATIVOS 24.06.17

Dia : 24/06/17 sabádo 

Horário : 14 h 

Pauta :
corte de ponto,
vale refeição, 
retroativo dos oito meses, 
30% dos recém - concursados
entre outros.

Local : Faculdade de Educação UFG

AJUDA AOS QUE TIVERAM O PONTO CORTADO!!


O SIMSED está organizando um auxílio às pessoas que participaram da greve, e tiveram o salário injustamente cortado. As famílias dessas (es) trabalhadoras (es) estão sofrendo com o corte de seu sustento! As doações (financeiras, bazar, pedágios, cestas básicas) serão distribuídas entre essas (es) trabalhadoras (es) como forma de amenizar a situação que se encontram. O auxílio poderá ser uma cesta básica ou o valor da cesta básica, de acordo com o que for sendo arrecadado. No momento atenderemos as (os) servidoras (es) administrativas (os) e auxiliares de atividades educativas a partir do seguinte critério:
       
As (os) trabalhadoras (es) auxiliares e administrativos que tiveram corte de ponto de 50% a mais do que o valor do seu vencimento.
Assim, vamos organizar uma relação e para isso solicitamos que estas pessoas nos enviem: foto do contra cheque e identidade, dados da conta nominal/salário com o nome que está no contracheque apresentado e nome da instituição em que trabalha.

IMPORTANTE: Estaremos organizando essas informações até sexta (23/06/17) e retornaremos às pessoas que atenderem os critérios a partir de sábado (24/06/17) conforme a situação de necessidade.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

PANFLETAGEM CONTRA O CORTE DE PONTO 16.06.17

Participem da panfletagem de denúncia contra o corte de ponto das/os trabalhadoras/es da educação.

Essa atitude punitiva por conta da greve, tomada pela prefeitura e SME, é absolutamente DESUMANA!

As/Os profissionais que já recebem salários extremamente baixos, chegaram a receber menos de 300 reais!

Repudiamos essa ação indigna dessa gestão!

Vamos mostrar à sociedade o que está acontecendo, não vamos nos calar!

segunda-feira, 12 de junho de 2017

SOLIDARIEDADE ÀS (AOS) TRABALHADORAS (ES) - PEDÁGIOS E DOAÇÕES 12.06.2017

Nos dias 06/06 e 10/06 realizamos dois pedágios, um na Praça Cívica no Centro e outro na Avenida 85, Setor Marista. O nosso objetivo além de arrecadar fundos para ajudar as (os) servidoras (es) da educação municipal de Goiânia que tiveram seus salários cortados pelo prefeito Íris Rezende, porque enfrentaram sua gestão incompetente e lutaram pela melhoria da educação pública, foi também denunciar o caos dessa administração. 

Continuamos enfrentando escolas e Cmeis sem funcionários suficientes para atender as crianças, com uma alimentação precária e sem os nutrientes suficientes para suprir as necessidades diárias e ainda desprotegidas (os) e sendo roubadas (os) a toda semana por falta do serviço permanente de segurança da Guarda Civil Metropolitana - GCM. 

Assim, seguiremos nossa luta e continuaremos realizando novas ações para angariar mais fundos pra ajudar as famílias das (os) trabalhadoras (es) da educação pública municipal que tiveram seu sustento cortado pelo PREFEITO. 

Todos podem colaborar com doações em dinheiro ou produtos. Realizaremos bazar, arrecadação financeira e de alimentos em solidariedade aos companheiros de luta.

Colabore! Somente a luta pode garantir nossos direitos!

Doações de alimentos para cesta básica e/ou itens para o bazar:
• Xerox da Faculdade de Educação - UFG (Lucélio)
• Centro Acadêmico de Enfermagem - UFG

Doações de recursos financeiros:
Caixa Econômica Federal 
Conta: 5435-9      
Agência: 1842
Dalva Fátima Ferreira













*As publicações deliberadas pelo SIMSED são publicadas exclusivamente pelo blog  (http://simsed.blogspot.com) e pela página do Facebook (https://www.facebook.com/simsedgoiania/). As publicações veiculadas de outras fontes são de responsabilidade individual.

CONVITE PARA O DEBATE "A AÇÃO DO ESTADO NA LUTA PELA TERRA: CHACINA DE PAU D'ARCO" 14.06.2017

A ABRAPO - Associação Brasileira dos Advogados do Povo convida a todas e todos a participarem do debate *"A ação do Estado na luta pela terra: Chacina de Pau D'arco"*, que se realizará na quarta-feira, *dia 14/06, às 19h no Salão Nobre da Faculdade de Direito da UFG.*

Na manhã de 24 de Maio, em Pau D'arco, sul do Pará, dez camponeses foram assassinados brutalmente por agentes das Polícias Civil e Militar do Estado do Pará, em um contexto de conflito de luta pela terra.

*Participarão do debate:*
_Familiar das vítimas da chacina;_
Membro da Liga dos Camponeses Pobres do Pará;
Felipe Nicolau - presidente da ABRAPO;
Dra. Maria Cristina Vidotte Blanco Tárrega - Professora do Mestrado em Direito Agrário da UFG;
Dr. Carlos Frederico Marés - professor da PUC-PR e Ex-presidente da FUNAI.


Serão fornecidos certificados de *4 horas extracurriculares*.

Inscrições no local.

Contato: abrapogoias@gmail.com


domingo, 11 de junho de 2017

ANDAMENTO DA AÇÃO CONTRA O CORTE DE PONTO 11.06.2107

O SIMSED entrou com uma Ação Civil Pública contra o corte de ponto dos trabalhadores grevistas. O processo foi distribuído para o Juiz da segunda vara da Fazenda Pública Municipal. Ele despachou a petição inicial (documento que dá início ao processo) e já determinou a intimação do Município. 

Agora, o oficial de justiça vai intimar o Município. Quando for cumprida essa intimação, ela vai voltar ao processo e será anexada aos autos. A partir disso, o município vai ter 72 horas úteis para se manifestar no processo. Depois desse prazo, o juiz irá analisar o nosso pedido de urgência, que é o pagamento do ponto integral ou parcial, que está dentro do conteúdo do pedido da petição inicial.


sexta-feira, 9 de junho de 2017

CAMPANHA DE DOAÇÃO CONTRA O CORTE DE PONTO!

As doações de alimentos para cesta básica, roupas, sapatos e outros itens para o bazar, poderão ser centralizados nos seguintes pontos:

* Xerox da Faculdade de Educação UFG (Lucélio)
* Centro Acadêmico de Enfermagem UFG
Doações financeiras:

Caixa Econômica Federal
Conta: 5435-9
Ag:1842
Dalva Fátima Ferreira

PEDÁGIO CONTRA O CORTE DE PONTO 10.06.17

DIA: 10/06/17 sabádo 
HORÁRIO: 11 h 
LOCAL: em frente ao Shopping Bouganville

quinta-feira, 8 de junho de 2017

INFORME DA REUNIÃO 03.06.17


Na reunião de 03 de junho de 2017, foi discutida a pauta: Avaliação Política e Geral, corte de ponto e reposição, situação das (os) servidoras (es). Administrativas (os) e auxiliares.

Primeiramente, pontuou-se sobre a importância das companheiras (os) na manifestação em Brasília no dia 24/05/2017 contra a Reforma da Previdência e fim dos direitos Trabalhistas duramente conquistados. Sobre a ameaça dessas perdas, refletiu-se que esta é uma demanda de luta de toda a classe trabalhadora da qual, nós, de educação não podemos ficar de fora.

A seguir realizou-se o informe sobre a reunião do dia 02.06.17 (sexta-feira) na SME, na qual o Secretário Marcelo Costa não compareceu. (Ver informe sobre a reunião no blog) e também foi dito que haverá outra reunião com o Secretário na SME no dia 09/06/17, próxima sexta feira.

Passou-se então para o debate sobre o corte de ponto, realizado pelo prefeito Iris Rezende como forma de punição da categoria que ousou lutar no movimento paredista de abril a maio.  Avaliou-se que o ato realizado durante o Mutirão foi positivo, pois, mostrou o quanto a categoria é de luta e não deixará seus direitos serem seciados. Em consenso, decidiu-se que se a prefeitura não fizer o pagamento de forma integral dos salários, das (os) servidoras (es) grevistas, não terá reposição e a prefeitura terá que cumprir a lei dos 200 dias letivos, para não sofrer processo por improbidade administrativa. Desta maneira, não iremos propor calendário enquanto o salário não for integralmente pago.

Seguindo a pauta, as servidoras (es) administrativas (os) e auxiliares levantaram a necessidade do SIMSED organizar uma reunião para o debate da pauta de luta das (os) mesmas (os). O que foi considerado muito importante, mas, não de forma isolada, pois todas (os) aprendemos umas (uns) com as demandas das (os) outras (os) e mais do que nunca precisamos unir nossas forças.

Encaminhamentos:

Comissões responsáveis por organizar cada ato e ação;
Arrecadação de doações em dinheiro para ajudar principalmente as (os) servidoras (es) administrativos e auxiliares;
Realização de dois Pedágios: dia 06/06 das 17h as 18h30 na Praça Cívica e dia 10/06 e às 11 h, no setor Oeste; Shopping Bouganville;
Produção de cartazes, faixas e panfletos para serem utilizados nos pedágios e serem espalhados pela cidade;
Realização de dois formatos de bazar: um online e outro presencial;
O Online será tipo loja virtual;
O Presencial será realizado por regiões ainda a definir pela comissão;
Produção de Slide/vídeo para disponibilizar conta de doações;
Reunião com pauta dos administrativos: sábado 17/06 às 14h.
Reunião dos Administrativos: sábado 24/06 às 14h;
Elaboração do Boletim da greve;
Curso para as (os) recém-concursados.

terça-feira, 6 de junho de 2017

CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE CONTRA O CORTE DE SALÁRIOS 06/06/2017



video

A greve foi o último  recurso utilizado  pelos trabalhadores da educação para lutarem pelos seus  direitos !

Como punição, o prefeito cortou o ponto dos grevistas!

Íris Rezende, CORTOU o sustento das FAMÍLIAS dos trabalhadores da educação!

Ele já demonstrou como vai tratar a educação em sua gestão: somente com truculência!
Pois, já agrediu os trabalhadores usando a ROMU (Ronda Ostensiva Municipal) para ferir os trabalhadores da educação. Assim como, afastou diretora por fazer greve, entre outras questões.

E agora, mais uma vez mostra sua forma TRUCULENTA de tratar os trabalhadores, retirando desses, as condições de sobrevivência!

Mas não poderá nós deter! LUTAR NÃO É CRIME!

Dessa maneira, estamos organizando essa campanha de  doações para os trabalhadores que tiveram seus salários cortados injusta e imoralmente!

Colabore depositando na seguinte conta:
Caixa Econômica Federal
Conta: 1842
Operação: 013
Agência: 5435-9
Dalva Fátima Ferreira

* A conta disponibilizada está sem movimentação, e foi oferecida para auxiliar nessa arrecadação. Faremos as prestações de conta das doações por meio dos extratos bancários.

**As publicações deliberadas pelo SIMSED são publicadas exclusivamente pelo blog  (http://simsed.blogspot.com) e pela página do Facebook (https://www.facebook.com/simsedgoiania/). As publicações veiculadas de outras fontes são de responsabilidade individual.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

AÇÃO CONTRA O CORTE DE PONTO 05/06/2017

O departamento jurídico do SIMSED está construindo uma Ação Civil Pública contestando o corte de ponto. 

O objetivo da ação é solicitar duas coisas:

1) Que o prefeito pague o Ponto Cortado, imediatamente e de forma integral, mediante o compromisso dos trabalhadores reporem os dias em greve.

2) Que a justiça assegure que os trabalhadores não sejam punidos por não optarem  repor da forma imposta pela Prefeitura e que tenham autonomia para apresentar seu calendário e cumpri-lo.

Manteremos todos informados dos andamento da Ação.



*As publicações deliberadas pelo SIMSED são publicadas exclusivamente pelo blog  (http://simsed.blogspot.com) e pela página do Facebook (https://www.facebook.com/simsedgoiania/). As publicações veiculadas de outras fontes são de responsabilidade individual.

PEDÁGIO CONTRA O CORTE DE PONTO 06/06/17

Dia: 06/06/17 terça-feira

Horário: 17 h até 18:30 h

Local:  Praça Cívica

domingo, 4 de junho de 2017

ATO NO MUTIRÃO DA PREFEITURA (CONTRA O CORTE DE PONTOS) - 03.06.17


Os trabalhadores da educação estiveram presentes no Mutirão do setor Balneário, no último sábado com a presença do prefeito senhor Íris Rezende e na oportunidade denunciaram o corte de ponto por meio de palavras de ordem, faixas e cartazes e exigiram a devolução do salário, bem como a reposição de aula aos estudantes. 

O corte de ponto foi uma ação totalmente intimidatória, inédita em Goiânia,  que coloca a sobrevivência e a  dignidade de inúmeros trabalhadores da Educação em risco, já que a maioria dos servidores são arrimo de família, prejudicando a alimentação, o tratamento de saúde e inclusive o comparecimento ao trabalho. 

O prefeito Íris Rezende adotou uma postura para intimidar aos que são contrários à sua administração, pelo CAOS que se instaurou na saúde, na educação, dizendo inclusive aos presentes: "Me respeitem! Não sou Paulo Garcia!", citando a gestão anterior,  lembramos ainda, que foi  Íris que iniciou a gestão na Prefeitura de Goiânia e  repassou ao então vice-prefeito. Esse posicionamento é direcionado,  principalmente aos que lutam contra a retirada dos direitos dos trabalhadores da Educação.
Com a medida política e ilegal, os profissionais que exerceram o direito de Greve, estão sendo privados ao direito ao seu sustento. É fundamental ressaltar que por parte do movimento grevista sempre houve a vontade de uma negociação justa da reposição dos dias letivos não trabalhados, sem prejuízo em relação aos dias de greve, inclusive até o momento os contra-cheques​ permanecem inacessíveis e questionamos os critérios de corte, pois  até mesmo dos finais de semana, foram descontados, se a falta Greve, não pode ser considerada falta Grave, portanto, importante rever esta atitude arbitrária!

 Não é justo  que sejamos punidos  na tentativa de nos manter em silêncio contra os desmandos de qualquer governo.

 Na oportunidade esclarecemos ao senhor prefeito Íris Rezende,  que o SIMSED é o representante da Educação Municipal de Goiânia,  portanto, não nos  deixamos ou permitimos ser representados por Sindigoiânia e/ou Sintego, ou qualquer outra instituição que queira negociar em nos representar.
Exigimos que as negociações, que já estão sendo realizadas com o SIMSED avancem no sentido de manter uma comissão de negociação,  e assim buscarmos uma solução para o impasse, que foi criado pelo prefeito, para  reunirmos com o secretário de educação municipal, senhor Marcelo Ferreira,  que inclusive tem se furtado das reuniões solicitadas, enviando representantes sem poder de decisão, protelando a negociação e prejudicando os envolvidos: profissionais e estudantes, reproduzindo posicionamento arbitrário​.

Sentimos que há o forte desejo de nos intimidar para enfraquecer a nossa garra e resistência.

 Sabemos que a desocupação da SME não poupou truculência e repressão, demonstrando que o posicionamento da gestão municipal seria ameaçador e com o intuito de dizimar qualquer tentativa de luta por nossos direitos e denúncia aos sérios problemas que ainda enfrentamos, mesmo após o final da greve.

Denunciamos também que durante o mutirão estávamos no nosso direito de livre manifestação e nos sentimos agredidos e hostilizados por pessoas que estavam próximas ao Prefeito Íris, houve muita tensão e empurra-empurra direcionados aos manifestantes e provocações desnecessárias. Tivemos faixas e cartazes  retirados  de nós e rasgados, porém não recuamos, mantendo a nossa manifestação.

O movimento dos servidores da Educação em Goiânia é forte, combativo e tem sido o porta-voz contra as arbitrariedades que tem ocorrido dentro e fora das instituições, envolvendo desde as condições materiais de trabalho (instalações e estruturas físicas), pagamento dos valores corretos dos salários com os devidos reajustes de data base e piso salarial, a qualidade na merenda escolar, dentre tantos outros. 

Solicitamos que a gestão municipal representada pelo Prefeito Íris Rezende e o secretário de educação Marcelo Ferreira possam  fazer o correto pagamento de nossos salários imediatamente, para que possamos definir o calendário de reposição. Sem pagamento, sem reposição de dias letivos não trabalhados.










sexta-feira, 2 de junho de 2017

ATO EM REPÚDIO AO CORTE DE PONTO 02.06.17

No dia 02 de junho aconteceu um ato na SME contra o corte de ponto. 

Uma comissão de trabalhadores foram recebidos pela secretaria de educação, denunciando o corte de ponto e informaram que se não acontecer o pagamento integral, não vai acontecer a reposição. Ainda cobramos o posicionamento da SME  sobre a gratificação para as novas auxiliares. A responsável pela SME afirmou que irá realizar a correção, pois é automático o pagamento dessa gratificação.

Na reunião estavam presentes Mário, assessor do secretário, Anderson do jurídico e a Maria Aparecida do financeiro; o secretário mais uma vez não participou, dificultando a negociação com os trabalhadores. Esses representantes da SME informaram que irão repassar para o secretário e ele deverá se encontrar com o prefeito na próxima semana para  encaminhar as demandas. Ficou acertada uma reunião para a próxima sexta, dia 09, às 15 horas, onde o secretário deverá​ trazer um posicionamento do prefeito sobre o corte de ponto.

Temos que intensificar a nossa denúncia contra esse absurdo, é hora de luta. Os presentes no ato deliberaram sobre a mudança no calendário. 

Amanhã, dia 03 de junho, vamos ao mutirão no setor Balneário Meia Ponte, às 7h, sendo o ponto de encontro na Praça do Violeiro. 

A reunião acontecerá​ na Faculdade de Educação da UFG, às 14h.

Participe! É hora de luta!


MUDANÇA NA AGENDA E ATO 03.06.17

Mudança na agenda do dia 03/06/17 (sabádo)

Como o secretário não esteve presente  na reunião do dia 02/06/17, os trabalhadores que compareceram na SME decidiram  transferir a reunião do  SIMSED  para às 14h e deliberaram um ato.

Ato no Mutirão da prefeitura no setor Balneário
Dia: 03/06/17 (sabádo)
Horário: 7 h 
Local de encontro: Praça do Violeiro.


quinta-feira, 1 de junho de 2017

TODOS CONTRA O CORTE DE PONTO ! 02.06.17

DIA: 02.06.17 SEXTA-FEIRA 
HORÁRIO: a partir das 14 h 
LOCAL: SME (Secretaria da Educação)

QUE ABSURDO! O PREFEITO CORTOU O SALÁRIO DOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO E OS DEIXOU SEM O SUSTENTO DE SUAS FAMÍLIAS!
PUNIDOS POR LUTAREM POR SEUS DIREITOS!