domingo, 30 de abril de 2017

REUNIÃO DO COMANDO DE GREVE 02.05.17 - 8 :30H

REUNIÃO DO COMANDO DE GREVE
DIA: 02-05-17 TERÇA -FEIRA 
HORÁRIO: 8:30 H
LOCAL: FACULDADE DE EDUCAÇÃO UFG

ATO DA GREVE NO DIA 1º DE MAIO - DIA DO TRABALHADOR

ATO COM PANFLETAGEM 
HORÁRIO: 8H 
DIA : 01/05/17 SEGUNDA -FEIRA 
LOCAL: PARQUE MUTIRAMA (entrada principal) 

NOTA DE REPÚDIO CONTRA A GUARDA MUNICIPAL

O SIMSED repudia a ação covarde da guarda municipal durante a desocupação da Secretaria Municipal de Educação. Denunciamos que a ação da guarda municipal foi ilegal. Eles não possuíam nenhuma ordem judicial e a reintegração foi realizada durante a noite. Denunciamos que a guarda foi covarde. Eles atacaram pessoas desarmadas e deram tiros a curta distância, colocando a vida de todos em risco. Denunciamos que o povo goiano viu a ação cotidiana da guarda municipal.

 É dessa forma que são tratados os ambulantes, moradores de rua e outros em Goiânia. Com a vontade de impor sua “autoridade” com a elevação ao status de polícia metropolitana, são mais fascistas do que a PM. Por isso afirmamos que a guarda não é despreparada, ao contrário, ela é preparada para reprimir o povo. 

A guarda municipal de Goiânia tornou-se uma milícia com o claro intuito de reprimir os movimentos sociais e a população, uma nova força de repressão do Estado contra o povo. Por isso declaramos o nosso mais completo repúdio contra a guarda municipal.


AS MÃOS DO PREFEITO E DO SECRETÁRIO ESTÃO SUJAS DE SANGUE DOS TRABALHADORES

O SIMSED expressa o seu mais completo repúdio à ação da Guarda Municipal contra os trabalhadores da educação do município de Goiânia. No dia 26 alguns trabalhadores da educação ocuparam a SME com o objetivo de pressionar o prefeito a negociar com a categoria. 

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende, e o secretário de educação, Marcelo Ferreira da Costa, ordenaram a invasão dos guardas, que não mediram esforços em sua brutal repressão, com bombas e tiros de borracha a curta distância, demonstrando que o intuito era o de matar e intimidar todos os trabalhadores. 

Os grevistas onde foram torturados psicologicamente e fisicamente durante  a desocupação truculenta do prédio, tomando porradas e pontapés, balas de borracha, sofreram  pesadas ameaças. Cerca de 17 grevistas foram detidos no pátio da SME. 

 O SIMSED foi ao Ministério Público denunciar o caso e foi orientado para que as vítimas procurem a delegacia para registrar queixa contra os guardas municipais envolvidos na ação e os responsáveis pela ordem a tal ato covarde. 

As mãos do prefeito Iris Rezende e do secretário Marcelo estão manchadas de sangue dos trabalhadores. Temos que lutar para que esses dois inimigos dos trabalhadores sejam responsabilizados e punidos por suas covardes atitudes. 

quinta-feira, 27 de abril de 2017

REUNIÃO DO COMANDO DE GREVE 27. 04.17 - 14 H

Reunião do Comando de Greve 

Horário : 14 h 

Local: Faculdade de Educação UFG


ATO EM REPÚDIO AO MASSACRE SOFRIDO PELOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO

video

Ocorreu na manhã de hoje  (27.04.17) um ato em repúdio as agressões sofridas pelos trabalhadores da educação de Goiânia que estão de greve desde o dia 11.04.17, durante a desocupação da SME.

Os trabalhadores  foram tratados de forma extremamente desrespeitosa e humilhante. Ninguém estava fazendo nada de errado, estavam ocupando algo que é da categoria e foram arrancados de lá na base de bombas, spray de pimenta, balas de borracha e cacetes. Inúmeros  trabalhadores foram desrespeitados e violentados na sua dignidade. 

 Vários trabalhadores comparecem no ato para demonstrar seu repúdio a ação da guarda municipal  que agiu de maneira covarde ao  receberam ordem direta do secretário Marcelo e do prefeito  Iris Rezende. Eles são os verdadeiros responsáveis pela covardia contra os trabalhadores, 15 trabalhadores foram rendidos,  ficaram em cárcere privado, algemados e 9 foram detidos, sendo liberados por volta das 3 h da manhã.

Foi um momento de demonstrar solidariedade aos colegas agredidos e reforçaram o chamado para que todas as instituições fechem integralmente suas portas e venham participar da greve para somarmos forças e exigirmos uma negociação, não aceitaremos sermos ignorados pelo prefeito.

 NEGOCIAÇÃO JÁ!

A GREVE CONTINUA! 






IRIS MANDA ESPANCAR TRABALHADORES QUE ESTÃO NA LUTA

Mais uma vez o poder público reage de forma violenta e autoritária. Os professores da rede de Goiânia em greve ocuparam a secretaria municipal de educação esta tarde por volta das 16h em manifestação exigindo que fossem recebidos e negociassem os 32 pontos da pauta. 

Porém, a truculência foi a forma encontrada pelo prefeito Íris Rezende Machado PMDB.
Os professores foram atingidos pela Guarda Municipal cercados e jogados no chão. Tem professores gravemente feridos com bala de borracha, spray de pimenta e bomba de gás. Outros foram levados para delegacia e estão sendo torturados, aprisionados e detidos sem qualquer justificativa. 
Não houve reação dos manifestantes, mesmo assim vivemos um verdadeiro campo de guerra por querermos lutar contra a corrupção, desvalorização e retirada de direitos. 
É assim que o trabalhador da educação está sendo tratado na prefeitura de Goiânia. 
Pedimos ajuda para que compartilhem os vídeos e fotos assim como este texto para que todo o Brasil conheça a repressão, a truculência, com que o poder público na figura do prefeito Iris Rezende Machado trata os trabalhadores da educação.







video

quarta-feira, 26 de abril de 2017

MANIFESTAÇÃO DE REPÚDIO CONTRA O MASSACRE SOFRIDO PELOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO DURANTE A REINTEGRAÇÃO DE POSSE DA SME



MANIFESTAÇÃO DE REPÚDIO CONTRA O MASSACRE 
SOFRIDO PELOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO DURANTE A REINTEGRAÇÃO DE 
POSSE DA SME

DIA: 27.04.17 8 h 

Local: SME - Secretaria Municipal de Educação de Goiânia
Não tem arrego!
Não aceitaremos as trabalhadoras (es) da educação serem espancadas (os)!
O prefeito agride trabalhadores e não negocia!


terça-feira, 25 de abril de 2017

ASSEMBLEIA TRABALHADORAS (ES) DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA 28.04.17


ASSEMBLEIA TRABALHADORAS (ES) DA EDUCAÇÃO 
Dia : 28.04.17 sexta-feira
Horário: 8 h
Local: SME Secretaria Municipal de Educação 

Contra o corte de direitos, reforma trabalhista  e trabalhista!
TEM GREVE! TEM LUTA!

ATO DA COMUNIDADE DA REGIÃO GOIÂNIA VIVA EM APOIO A GREVE 26.04.17

Dia: 26. 04. 17 quarta-feira 
Horário: 8 h 
Local: em frente ao Terminal Goiânia Viva

ATO DA GREVE NO MINISTÉRIO PÚBLICO 25.04.17

                                           Dia: 25.04.17  terça-feira às  14 h 

                       Local: Ministério Público, Jardim Goiás.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

domingo, 23 de abril de 2017

ATO NA PRAÇA DO BANDEIRANTE SEGUNDA - FEIRA 24.4 - 16 H

Venham todas e todos em defesa da educação! 
Lutar não é crime!
Dia : 24.04.17 segunda-feira 
Local: Praça do Bandeirante, Centro, 16 h 

NÃO VAMOS ACEITAR NENHUM DIREITO A MENOS!


quinta-feira, 20 de abril de 2017

CALENDÁRIO DA GREVE 24.04 - 28.04

24.04 - segunda :8 h visita às instituições 
                            16 h Ato na Praça do Bandeirante 

25.04 - terça : 14  h Ato no Ministério Público

26.04 - quarta : 8 h Ato com a comunidade Praça em frente ao terminal Goiânia Viva 

27.04 - quinta :  8 h Manifestação na SME
                          14 h- Reunião do Comando de Greve Faculdade de Educação UFG

28.04 - sexta : 8 h Assembleia  dos Trabalhadores da Educação -  Secretaria Municipal de Educação

quarta-feira, 19 de abril de 2017

4ª EDIÇÃO DO JORNAL DA GREVE!



Saiba um pouco mais sobre:
- As conquistas das últimas greves
- A pauta de reivindicação da greve 2017
- Dúvidas jurídicas
- Agenda de mobilização
- Próxima assembleia

terça-feira, 18 de abril de 2017

CALENDÁRIO DA GREVE DESSA SEMANA

DIA : 18.04.17 
7 h visita às instituições 
13 h visita às instituições 

DIA: 19.04.17 
9 h Participação no ato  da comunidade escolar em apoio a greve 
13 h visita às instituições 

DIA: 20.04.17
8 h às 11:30 h Campanha de doação de Sangue Hemocentro (Av. Anhanguera)
14h - Reunião do Comano de Greve na Faculdade de Educação UFG

DIA : 28.04.17 ASSEMBLEIA, local a definir 

domingo, 16 de abril de 2017

E AS MANIFESTAÇÕES EM APOIO A GREVE NÃO PARAM DE CHEGAR!

Relato de uma professora ... 

Conforme determinado na última assembleia, nossa instituição aderiu a greve.

Na segunda-feira, dia 10 de abril,  conversamos com as crianças em sala de aula e com os pais em reunião. 

      Da roda de conversa com as crianças, a turma B produziu um texto, uma carta ao prefeito solicitando algumas reivindicações. A carta de uma das alunas ficou muito boa e acredito que pode servir para mobilizar a nossa luta, acredito que seria interessante enviar ao prefeito via meios de comunicação. Na reunião de pais, a aluna leu a carta e pedimos autorização à mãe para publicar que foi a favor da ação.  
      Assim, segue a carta em anexo. Detalhes: carta produzida por uma menina da turma B com idade de 7 anos. Não foram feitas as correções ortográficas, acho pertinente enviar sem as correções, por se tratar de uma aluna em fase de alfabetização.

Atenciosamente,

Escola Municipal .....



TERCEIRA EDIÇÃO DO JORNAL DA GREVE! CONFIRA!

TERCEIRA EDIÇÃO DO JORNAL DA GREVE! 

CONFIRA E MANTENHA-SE INFORMADA(O)!

CONVITE DA COMUNIDADE ESCOLAR PARA O ATO DIA 19.04.17 - 9 H

Pais preocupados com a precarização da Educação municipal de Goiânia, se unem aos educadores, exigindo que o prefeito atenda às reivindicações da categoria. Convidam para o ato dia 19.04.17 quarta- feira 9 h , na Praça Félix de Bulhões, final da T.63, Parque Anhanguera. CONFIRA OS VÍDEOS!

video

video



sábado, 15 de abril de 2017

CALENDÁRIO DO DIA 17.04.17 SEGUNDA - FEIRA


7 H : VISITA AS INSTITUIÇÕES
13 H : VISITA AS INSTITUIÇÕES
PONTO DE ENCONTRO NAS REGIONAIS

18:30 H : REUNIÃO DO COMANDO DE GREVE, 
FACULDADE DE EDUCAÇÃO UFG.

ATO DA COMUNIDADE ESCOLAR EM APOIO A GREVE 19.04.17


DIA : 19.04.17 quarta -feira 
Horário: 9 h
Local: Praça Félix de Bulhões, 
final da t - 63, Parque Anhanguera
PARTICIPE!
VENHA APOIAR ESSA INICIATIVA!


terça-feira, 11 de abril de 2017

AGENDA DA GREVE 12.4.17


ATO NO PAÇO MUNICIPAL DE GOIÂNIA PELA CONVOCAÇÃO
 DOS CONCURSADOS - 
 8 :30 H 
13 H VISITA AS INSTITUIÇÕES - PONTO DE ENCONTRO NAS REGIONAIS
19 H VISITA AS INSTITUIÇÕES - PONTO DE ENCONTRO NAS REGIONAIS

segunda-feira, 10 de abril de 2017

ACOMPANHE O JORNAL DA GREVE!! PRIMEIRA EDIÇÃO! NÃO PERCA!


PRIMEIRA EDIÇÃO DO JORNAL DA GREVE! ACOMPANHE AS NOTÍCIAS  MAIS

QUENTES DA GREVE!

ATO 11.4.17 PARA MARCAR O INICIO DA GREVE DOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA



ATO DA GREVE DOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA 
DIA : 11.4.17 TERÇA - FEIRA 8 H 
LOCAL: CATEDRAL METROPOLITANA DE GOIÂNIA



ESCLARECIMENTO SOBRE O DIREITO DE GREVE EM GOIÂNIA


A Assessoria Jurídica do Sindicato Municipal dos Servidores da Educação de Goiânia – SIMSED vem, por meio desta, informar e buscar esclarecer sobre alguns pontos do direito à Greve.


1) Os Servidores Públicos têm direito à greve?


Sim, qualquer Servidor Público tem direito à Greve, inclusive contratos! A greve é um direito garantido pelo art. 9º e art. 37, VII, da Constituição Federal e pela Lei nº 7.783/89. Portanto é garantido o direito à greve para qualquer Servidor Público!


2) A Greve proposta pelo SIMSED é ilegal?


A resposta é NÃO! De acordo com o art. 9º da Constituição Federal, compete aos trabalhadores decidirem sobre a oportunidade de exercer o direito de greve, conforme ocorreu no dia 06 de abril de 2017. Vale destacar que na greve de 2015 a Prefeitura de Goiânia ajuizou Ação Civil Pública contra o SIMSED alegando que a greve era ilegal, pedido este rejeitado pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, comprovando, portanto, que a Greve deflagrada pelo SIMSED é LEGAL!


3) A Prefeitura de Goiânia pode contratar alguém para me substituir durante a greve?


A Prefeitura NÃO pode contratar outro profissional para substituir o Servidor grevista. De acordo com o Parágrafo Único do art. 7º da Lei 7.783/89 (Lei de Greve) fica expressamente vedada a contratação de trabalhadores para substituir os grevistas. Se isso ocorrer, denuncie! Colham as provas deste fato! Isso é ilegal!


4) A prefeitura pode remanejar os trabalhadores que não aderiram à greve?


O remanejamento, além de ser pedagogicamente ruim, pois rompe com todo o vínculo do Profissional da Educação com os estudantes, é ilegal! O remanejamento é uma forma de substituir o trabalhador em greve, o que gera a violação do Parágrafo Único do art. 7º da Lei 7.783/89 (Lei de Greve).


5) Poderá ocorrer o corte de ponto durante a greve?


Primeiramente, é decisão política da Prefeitura o corte ou não do ponto dos trabalhadores em greve! Pois não existe nenhuma lei que determine que a Prefeitura deve cortar o ponto! Portanto, compete ao Prefeito de Goiânia decidir se irá cortar ou não os dias em que os trabalhadores estiverem no usufruto do seu direito à greve. 
Em 2016, o STF, por meio do Recurso Extraordinário nº 693456, entendeu que a greve, ao suspender o contrato de trabalho, pode ocorrer o corte de ponto imediatamente, exceto se a greve for por motivo de não pagamento de salário, pela recusa do Poder Público em não negociar, ou intransigência do Poder Público nas reuniões de negociação.
Já nas greves longas, aquelas acima de 30 (trinta) dias, o Poder Judiciário poderá determinar que seja pago a metade dos dias em greve, de acordo com o Acórdão do REx nº 693456.
Vale destacar que, se a Prefeitura não negociar a reposição com o Sindicato, não há obrigação de fazer a reposição das aulas. Ou seja, é dever da Prefeitura negociar com a comissão de negociação os termos da reposição, podendo os trabalhadores exigir nesta negociação a devolução do ponto cortado antes da reposição.


6) Assédio Moral contra os Trabalhadores em Greve é proibido?


Em hipótese alguma os Trabalhadores podem sofrer Assédio Moral, especialmente, quando estiverem usufruindo seu direito à Greve! Greve é direito! Ninguém pode sofrer retaliações por estar usufruindo seu direito! O § 2º, do art. 6º, da Lei 7.783/89 (Lei de Greve) deixa expresso que é proibido o empregador (Diretor, Apoio, Coordenador, Secretário, Prefeito, e demais gestores da prefeitura) adotar meios para constranger os trabalhadores para este não aderir ao movimento grevista. Portanto, é ilegal o Assédio Moral contra os trabalhadores grevistas!


7) Eu posso entrar em greve mesmo que na minha escola só eu queira aderir ao movimento?


Sim! A greve é deflagrada em Assembleia Geral da categoria, conforme art. 4º da Lei de greve. Portanto, desde que aprovada em Assembleia Geral, como já ocorreu no dia 06/04/2017, os trabalhadores poderão aderir à greve, sendo ilegal e abusivo (é um caso de assédio moral) tentar impedir que o trabalhador participe do movimento grevista ainda que seja o único da unidade escolar.


8) É legal a prefeitura rescindir o contrato de dobra dos grevistas?


É um ato manifestadamente de assédio moral o corte das dobras por motivo do trabalhador aderir ao movimento grevista! A Lei de greve proíbe a rescisão de qualquer contrato de trabalho durante a greve, conforme Parágrafo Único do art. 7º da Lei 7.783/89.


9) O contrato temporário pode aderir ao movimento grevista? 


Pode o trabalhador temporário ter seu contrato rescindido por conta da greve?
É assegurado o direito de greve de qualquer trabalhador, de acordo com o art. 9º da Constituição Federal. O Parágrafo Único do art. 7º da Lei 7.783/89 deixa expresso que é vedada a rescisão do contrato de trabalho durante a greve. Portanto, além de ser assegurado o direito de greve, não pode a Prefeitura rescindir o contrato temporário por motivo de adesão à greve! 


10) Como se dá a reposição dos dias em greve?


A reposição ocorrerá com a negociação da Prefeitura com a Comissão dos Trabalhadores em Greve, podendo ser negociado como será feita a reposição, se será nos dias de sábado, se será no recesso, enfim, toda e qualquer forma de negociação é possível, desde que sejam respeitados os direitos básicos dos trabalhadores que regulam sobre a saúde do trabalhador.
Considerações finais:
Por fim, ressaltamos que o presente esclarecimento está fundamentado  na Constituição Federal e na Lei nº 7.783/89 (Lei de Greve). Porém, a própria aplicação da lei depende da luta política, já que nos anos anteriores vimos vários desses direitos serem violados durante as greves.

domingo, 9 de abril de 2017

INFORME SOBRE A REUNIÃO DO COMANDO DE GREVE - SIMSED REALIZADA DIA 08/04/2017



Em reunião lotada do Comando de Greve, dia 08/04, foi debatida a seguinte pauta: Informes; Análises sobre a situação política; Avaliação e Encaminhamentos da greve deflagrada na Assembleia do dia 06/04.

Nas análises políticas apresentadas foi ressaltado: o momento político e econômico que vivenciamos. Desde a crise de 2008 nos EUA, vem se desdobrando em ataques encadeadas de pressão e instabilidade, intensificando a superexploração do trabalho, tornando um momento de ofensiva à classe trabalhadora. Muitos alimentam uma série ilusões, dentre elas, no processo eleitoral, como solução em detrimento da luta de classes. O pensamento legalista que ainda permeia parte da categoria, dificultando a adesão à greve; concluindo as análises, chegaram à conclusão de que este é sim o momento da greve. “Ou nos posicionamos agora, ou não teremos mais por quê lutar!”

Advogados da ABRAPO estiveram presentes, sendo a pauta interrompida com os esclarecimentos feitos pelo Dr. Hugo sobre o direito de greve e sobre a legalidade de diversos pontos do movimento grevista. Os Advogados se dispuseram a fazer um vídeo e um texto explicativo para ser divulgado para categoria. Concluindo, ressaltaram que a greve é um movimento essencialmente político .

Discutiu-se que, apesar do papel desmobilizador do Sintego, soltando uma nota dizendo ter feito acordos com o Secretário da Educação (mesmo que não houvesse nenhum documento assinado), a Assembleia foi muito positiva, constituiu-se em um lugar democrático em que as pessoas tiveram ampla oportunidade de fala, assim como defesa de suas propostas favoráveis ou contra a greve. Onde democraticamente a maioria, por contraste visual optou pela Greve Geral.

Após esse momento foram apresentadas propostas de encaminhamento da Greve Geral, ficando definido as ações:

- ato / manifestação no dia 11/04/17, às 8h na praça da Catedral Metropolitana;
- ato dia 12/04/17, às 8:30h no Paço Municipal, em apoio aos Aprovados no concurso, pela imediata Convocação de todos para a cobertura do déficit;
- ato nacional no dia 28/04/17 contra a reforma da previdência.
Outros encaminhamentos:
- criação de um canal no you tube com duas publicações semanais sobre a educação da RME e o movimento grevista;
- confecção de panfletos e panfletagem nas escolas e nos atos;
-confecção de panfleto ressaltando os ganhos das greves;
- uso de carros de som  nos bairros nas feiras, por regiões.
- formação de equipes de visitas às instituições que não aderiram à Greve, chamando todos para o engajamento na luta;
- formação das comissões para as ações do Comando.
-Doação de sangue no Hemocentro 20/4 das 8:30 às 17:00h
- Acompanhar a agenda do Prefeito Secretário da Educação;
- Produzir artigos e enviar aos jornais O Popular e Diário da Manhã;
- A próxima reunião do Comando de Greve ficou marcada para o dia 17/04 às 18:30 h.                       


sexta-feira, 7 de abril de 2017

REUNIÃO DO COMANDO DE GREVE 8.4.17

 Reunião do comando de greve

Pauta: organizar as ações da greve

Dia: 08/04/17 sábado

Horário: 8:30 h 

Local: Faculdade de Educação UFG


DELIBERAÇÕES DA ASSEMBLEIA DAS (OS) SERVIDORAS (ES) DA EDUCAÇÃO MUNICIPAL DE GOIÂNIA.


GREVE GERAL a partir de 11/04/2017

Reunião do Comando de Greve dia 08/04, sábado, às 08h30 na

 Faculdade de EDUCAÇÃO UFG.

1o Ato de Greve: manifestação dia 11/04 às 08h em frente à 

Catedral.

APOIO E PARTICIPAÇÃO no ato dos Aprovados no concurso 

2016, dia 12, às 09h no Paço Municipal.

REALIZAÇÃO DE ATO no dia Nacional de Greve, 28/04.

Não está agendado a próxima assembleia, discutiremos nas reuniões. 



domingo, 2 de abril de 2017

SINTREGO PRETENDE TUMULTUAR A ASSEMBLEIA DO DIA 06/04/17!

O SIMSED vem denunciar a pelega pretensão do SINTREGO de tumultuar a próxima Assembleia da Classe Trabalhadora da Educação do Município de Goiânia. Esses pelegos marcaram um ato na Secretaria Municipal de Educação no mesmo horário da Assembleia da Classe Trabalhadora, tirada em votação pela categoria desde o dia 08 de março de 2017.

Provavelmente vão levar um carro de som, seguranças e militantes financiados para causar o tumulto. Convocamos todas (os) as (os) trabalhadoras(es) e apoiadoras(es) da luta popular para o enfrentamento contra o oportunismo do SINTREGO, pois não permitiremos que tumultuem a assembleia ou prejudiquem o seu andamento.

 O SINTREGO está em plena campanha para desmobilizar a greve na rede municipal. A sua presidente, Maria Euzébia (Bia), prega publicamente que não é momento de greve e que ela está negociando e resolvendo toda a pauta de reivindicações da categoria. Eles puxaram uma assembleia fake (falsa), visitaram escolas e gastaram MUITO dinheiro ROUBADO DO NOSSO BOLSO ATRAVÉS DO IMPOSTO SINDICAL, fazendo o chamado para essa assembleia na TV, que RENDEU cerca de 50 PARTICIPANTES.

 O objetivo deles com essa falsa assembleia era adiar a iminente greve, mas foram vencidos pela sua falta de credibilidade atestada pelo não comparecimento da categoria. Diante do fracasso dessa assembleia, eles resolveram adotar outra tática, que é a de causar o tumulto e a sabotagem da verdadeira assembleia da Classe Trabalhadora.

O SIMSED quer deixar claro que não tem nenhuma unidade com o SINTREGO. As duas entidades são como água e óleo. Não se misturam. Além disso, não houve nenhum convite oficial, muito menos extra oficial para que o SINTREGO participe dessa Assembleia, como tem sido espalhado por aí.
ISSO VALE TAMBÉM PARA O SINDIGOIANIA QUE JÁ ANUNCIOU SUA PRESENÇA EM NOSSA ASSEMBLEIA, APESAR DE IGUALMENTE NÃO TER SIDO CONVIDADO.


A construção do SIMSED representa um amadurecimento político da Classe Trabalhadora da Educação do Município de Goiânia, que conseguiu superar o peleguismo do velho sindicalismo do SINTREGO. Contamos com o apoio de todas (os) as(os) trabalhadoras(es) e apoiadoras(es) na defesa da Assembleia da Classe Trabalhadora.