domingo, 26 de março de 2017

CONVITE PARA REUNIÃO SIMSED 01.04.17



Reunião
Dia: 1.4.17 sábado 8:30 h
Pauta: organização da assembleia e outras demandas dos trabalhadores

Local : Faculdade de Educação UFG

sexta-feira, 24 de março de 2017

RELATO DA INTERVENÇÃO NA AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE O PROJETO MÃE CRECHEIRA


O projeto foi apresentando na Câmara dia 21.03.17 pela vereadora Sabrina Garcez.  Estavam compondo a mesa: Sabrina Garcez, Célia Valadão ( Secretária de Assistência Social, sempre votou contra a educação), Conselho Estadual e Municipal de Educação,  Conselho dos Direitos das Crianças e Adolescentes, e um representante de uma regional do Conselho Tutelar (não informou a região).

Antes de iniciar a audiência, o SIMSED entregou um panfleto de repúdio ao Projeto "Mãe Crecheira".

A audiência contou com  várias pessoas especialistas em Educação e diversos segmentos da sociedade.

Somente um Conselheiro Tutelar defendeu o projeto, além da autora, a vereadora Sabrina Garcez.

Eles iniciaram a apresentação, exibindo  um vídeo que defendia o Projeto. Quando foi mostrada a reportagem veiculada pelo Jornal do Meio Dia, esta foi censurada no momento em que um conselheiro tutelar se posicionou contrário ao Projeto.

A mesa manipulou a audiência desde o começo e tentou boicotar a fala do público.

Após palavras de ordem e questionamentos abriram para as intervenções  com manobra da lista de inscritos.

Algumas mães presentes defenderam o Projeto pois, à elas foi  vendida a ideia que com o Projeto elas iriam conseguir um emprego.

O SIMSED conseguiu mobilizar e levar trabalhadores da educação contrários a esse Projeto.

Aqueles que estavam ali para defender o Projeto, perderam a razão. O intuito deles era uma auto - promoção, para isso chamaram a imprensa e tentaram passar a ideia  de um Projeto inovador, que iria resolver problemas.  Pura demagogia!

Com uma defesa rasa, com argumentos pobres, inconsistentes e apelativos, o Projeto foi desmascarado por várias falas críticas e coerentes.

Os trabalhadores da educação participaram da audiência para denunciar o descaso desse Projeto com a educação infantil. Eles  estenderam uma faixa em defesa da educação e os organizadores ficaram extremamente incomodados com toda essa surpresa.

Em alguns momentos a situação ficou tensa. Houveram ameaças, censura e uma companheira teve até o microfone tomado de sua mão.

O SIMSED cumpriu o papel de denunciar e desmascarar  esse Projeto, no sentido de alertar toda comunidade e pedir que as instituições mobilizem-se contra a proposta de lei desse Projeto "Mãe Crecheira".

Ao final dá audiência, a vereadora quis impugnar os encaminhamentos, mas o simsed e outros  presentes que estavam contrários, conseguiram retomar e encaminhar suas propostas:

• Arquivamento do Projeto em primeira instância;

• Formação de uma comissão com integrantes de todos os âmbitos, para discussão desse Projeto;

• Análise das verbas que possivelmente serão aplicadas na educação e no Projeto;

• Reabertura de CMEI's fechados;

• Realização de novos convênios;

• Construção de novos CMEI's;

• Convocação de profissionais qualificados por meio do concurso público.

 A vereadora ainda não entendeu a necessidade de se ter uma política especial para criança de até pelo menos 9 anos.

A atenção e o que é ofertado a elas é insuficiente, ultrapassado e de certa forma irresponsável, haja vista não atenderem em nada o que é preconizado pelos novos estudos e teorias educacionais que trata dessa fase infantil. O problema central do Projeto reside aí, a não compreensão das necessidades das crianças.


CMEI’s não são depósito de criança e sim um local onde as mesmas podem desenvolver-se a fim de alcançarem o máximo do potencial que certamente todas têm.





terça-feira, 21 de março de 2017

INFORME DA REUNIÃO COM O CONDIR


No dia 20 de março de 2017 o SIMSED se reuniu com o Conselho de Diretores (Condir), a convite do próprio Conselho. Infelizmente foram convidados também o Sintego e o Sindigoiânia, ao qual lamentamos a presença.

O Condir procurou realizar essa reunião para pedir o apoio dos sindicatos contra a retirada que a prefeitura está fazendo sobre benefícios recebidos pelos diretores. Depois que o secretário de educação expressou que não discutiria direitos trabalhistas com o Condir e sim com o movimento da categoria, o Condir resolveu fazer essa reunião.

A intervenção do SIMSED buscou cobrar um posicionamento do Condir em defesa da greve dos trabalhadores da Educação que avizinha o horizonte se o prefeito não cumprir a pauta de reivindicações. Foi destacado que nesse momento ninguém pode ficar em cima do muro.

O Condir apresentou uma pauta de reivindicações, que o SIMSED considerou possuir pontos importantes, porém, insuficientes em relação as demandas emergenciais da categoria.

O ponto mais evidenciado pelo Condir foi a perda dos direitos dos diretores das escolas e CMEIS de Goiânia, que, muito embora ainda não oficializado, torna-se preocupante. Segundo informações, a SME está lançando sobre o trabalhador mais uma retirada de direitos: diretores com dois concursos terão que abrir mão de um dos contratos para receber a Gratificação.

A reunião seguiu com as discussões dos pontos de pauta da categoria, em que o SIMSED elencou vários pontos que são extremamente importantes para serem agregados as pautas apresentadas pelo Condir, por considerar que, a luta deve ser feita a partir do entendimento de que esta deve seguir e respeitar os direitos e anseios da categoria e não de um grupo segregado.


O SIMSED apontou que é importante os diretores e professores estarem unidos na luta,  mas para haver a unicidade na luta pelos direitos dos diretores, faz-se necessário entender, que a postura de muitos diretores deve ser modificada em relação a luta, pois não se pode seguir ao lado de pessoas que no chão da escola, inúmeras vezes, já foram denunciadas por assédio moral ao funcionário,  justamente por aderirem à luta e a greve.

O SIMSED também afirmou que as demandas emergenciais envolvem: a valorização dos trabalhadores do administrativo, o cumprimento do Piso, a valorização pedagógica da auxiliar, a garantia do fornecimento da merenda escolar (pois no momento são muitas denúncias de falta de alimentos), falta de segurança nas escolas e CMEIS, dentre outros.

O SIMSED pontuou que há sim a possibilidade de acrescentar os pontos apresentados pelos diretores às outras reivindicações entregues à Prefeitura, por entender que o exercício da direção escolar compõe a categoria de trabalhadores da Educação e a nossa causa é a Educação, e, compreendendo o perigo destas medidas que fazem parte de uma reforma administrativa que a prefeitura vem querendo impor, no intuito de deixar o terreno preparado para a implantação das OSs ao que somos cabalmente contrários.

Gostaríamos de destacar que a senhora Euzébia (Bia), do Sintego, fez uma fala, que de modo geral, quis reafirmar o que publicaram na página deles, desenhando uma realidade completamente alienada à realidade, como se à partir de uma conversa com o secretariado da Educação estivesse tudo resolvido, sem apresentar nada documentado nem assinado, portanto sem nenhuma validade.

A Bia foi criticada como representante do Sintego, pelo papel desmobilizador que mais uma vez se presta a fazer, divulgando inverdades, provocando dúvidas aos mais desavisados. Várias afirmações feitas pela Bia, foram contestadas por membros do SIMSED e por membros do CONDIR, visto que as informações são inconsistentes e mentirosas.

Um exemplo do grande absurdo pronunciado pela senhora Bia, foi: "As auxiliares jamais serão reconhecidas como professoras". Mais uma vez, mostrando o completo distanciamento da realidade  das nossas instituições e da pauta apresentada pela categoria à SME, pois o que reivindicamos é a valorização pedagógica das auxiliares e a equivalência de sua carreira com os professores.


Por fim, o SIMSED solicitou ao CONDIR que convoque uma assembleia com os diretores para tratar sobre as questões apontadas. Foi informado que já estão encaminhando e que em breve será confirmada a data.  Ao final o SIMSED agradeceu o convite e reiterou que a luta precisa ser conjunta e em defesa da Educação.



segunda-feira, 20 de março de 2017

ASSEMBLEIA COM PARALISAÇÃO E INDICATIVO DE GREVE DAS (OS) TRABALHADORAS(RES) DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA DIA 6.4.17


Dia: 6.4.17  quinta-feira 8 H 

Local:Secretaria Municipal de Educação de Goiânia, 
caso chova a assembleia ocorrera no CEPAL setor Sul.

Pauta: devolutiva das reivindicações apresentadas ao secretário e apreciação do indicativo de greve 

quinta-feira, 16 de março de 2017

PELA CONVOCAÇÃO IMEDIATA DE TODOS OS APROVADOS NO CONCURSO DE GOIÂNIA!

ABAIXO A MANOBRA DO PREFEITO IRIS REZENDE COM A CONVOCAÇÃO DE UMA QUANTIDADE MÍNIMA DE APROVADOS!

A prefeitura de Goiânia mais uma vez tenta enganar os trabalhadores e a população com a convocação de uma quantidade irrisória de aprovados. Convocaram uma quantidade insuficiente de pedagogos e administrativos, que não supre minimamente o déficit real da rede municipal. 

Também não chamaram nenhum professor de área, demonstrando a má fé e a manobra em tal convocação. O objetivo da prefeitura com essa primeira convocação não foi o de resolver o problema do caos que vem impedindo o pleno funcionamento das instituições educacionais e a garantia do direito dos estudantes a uma educação de qualidade. 

O objetivo do prefeito Iris foi apenas diminuir a pressão social, fingindo que estão convocando e atendendo as normas legais de ingresso no serviço público, chamando uma quantidade irrisória, enquanto mantém e convoca novos contratos temporários. Vai servir de muleta para a prefeitura, onde vão usar como essa pífia convocação como desculpa para chamar a conta gotas o restante dos aprovados. Isso tem que ficar evidente a todos, foi mais uma manobra suja que precisa ser desmascarada. 

O SIMSED conclama todos os aprovados para a luta pela convocação. Os trabalhadores efetivos da rede já estão pautando essa questão, que faz parte da lista de reivindicações entregues para o secretário de educação. É hora de luta e não podemos cair em mais esse engodo.

Segue a lista dos convocados. Compartilhe!

LINK DA CONVOCAÇÃO NO DIÁRIO OFICIAL - PÁG 56 - 73

























































PAUTA DA CATEGORIA ENTREGUE NA SME MARÇO DE 2017

Reivindicações dos trabalhadores da EDUCAÇÃO. Como resolução da reunião ocorrida entre o SIMSED e o secretário de Educação Sr Marcelo Ferreira da Costa, o SIMSED formaliza mais uma vez a lista de reivindicações dos trabalhadores.


1. Melhoria nas escolas e CMEI’s de Goiânia, para que seja garantido o pleno atendimento de direitos básicos dos estudantes e dos trabalhadores da educação;

 2. Imediato pagamento da data-base do trabalhador administrativo sem parcelamento, pois já deviam estar cumprindo desde o mês de janeiro;

3. Piso Salarial para o trabalhador administrativo de dois salários mínimos;

4. Cumprimento do Piso Nacional dos professores e reposição das perdas inflacionárias;

 5. Reajuste da Titularidade do professor;

 6. Reajuste do difícil acesso do professor;

7. Direito das auxiliares de atividades educativas realizar substituição;

8. Alteração do Plano de Carreira e Estatuto definindo o cargo de auxiliar como pedagógico e equiparando a suas vantagens na carreira a do professor;

 9. Auxílio locomoção para as auxiliares de atividades educativas;

 10. Pagamento dos oito meses de retroativo dos servidores administrativos, referentes a data-base de 2014;

11. Pagamento das Progressões Horizontais (mudança de letra) e Verticais (Titularidade), com retroativo;

 12. Regulamentação do cargo de cuidador;

13. Direito ao auxílio locomoção para o trabalhador administrativo, com alteração do Estatuto do Servidor, que não permite o recebimento de vale transporte para quem recebe acima de dois salários mínimos;

 14. Não fechamento do Ciclo 3;

15. Não retirada dos direitos dos diretores: gratificação nos dois contratos ou dobras; permanencia dos dois contratos para os que os possuem; retorno da incorporação da gratificação para aposentadoria.

16. Reabertura de turmas EAJA noturno nas Escolas onde fecharam e Manutenção onde já existem;

17. Imediata convocação dos aprovados no concurso público e não abertura de contratos temporários;

18. Reajuste do Auxílio Locomoção e da Regência;

19. Que a Progressão vertical dos servidores administrativos volte a ser de 2 em 2 anos;

20. Igualdade do recesso escolar dos trabalhadores administrativos em relação aos demais servidores da educação;

21. Direito a insalubridade para os trabalhadores administrativos;

22. Pagamento de três meses retroativo do Piso dos professores no ano de 2014;

23. Regência para o coordenador de turno;

24. Melhorias no atendimento pelo IMAS;

25. Melhoria na estrutura física de escolas e cmeis.

26. Cumprimento da lei que garante a substituição do administrativo imediatamente;

27. Aumento da quantidade de administrativos nas escolas que funcionem com o Mais Educação;

28. O administrativo com formação superior na área da educação , tenha garantia de valorização tanto economicamente quanto socialmente no decorrer de sua carreira pública.

29. Fim das Escolas e CMEI’s de Placa.

30. Melhoria na qualidade da merenda escolar e dos produtos adquiridos para o preparo dos alimentos, com garantia do fornecimento do lanche a todas as instituições, sem interrupções contínuas ou esporádicas durante todo o período letivo.

31. Maior segurança nas instituições escolares, pois semanalmente as mesmas são assaltas e o patrimônio da escola é depredado. Que a guarda municipal possa realizar esse patrulhamento principalmente aos finais de semana.

32. Concessão imediata da licença, para evitar o déficit e a sobrecarga dos demais trabalhadores.
  

segunda-feira, 13 de março de 2017

INFORME SOBRE A REUNIÃO DO SIMSED REALIZADA DIA 11/03/2017

Na reunião do dia 11/03, foi debatida a seguinte pauta: informes, balanço da Assembleia do dia 08/03, ações para a construção da greve e organização da manifestação do 15/03, contra a reforma da Previdência Social. 

 Os informes referiram-se a reunião realizada com o Secretário de Educação do Município, no dia 09/03, em que houve a discussão da pauta entregue desde o dia 05/01 pelo Simsed. Foi solicitada pelo Secretário uma nova formalização dessa pauta, que já foi efetivada unindo-se os pontos de pauta das auxiliares, administrativos e outros, totalizando 28 pontos de reivindicações. 
 Requereu-se também uma reunião diretamente com o Prefeito Íris Rezende, a qual ainda não houve resposta ao movimento. Em relação ao balanço da Assembleia, destacaram-se a adesão e participação da categoria, a importância do trabalho de mobilização nas instituições que contribuiu significativamente para o conhecimento e comparecimento na Assembleia. 

Discutiu-se que a Assembleia constituiu-se em um lugar democrático e de pluralidade de ideias em que as pessoas tiveram ampla oportunidade de fala , assim como defesa de suas ideias e propostas. Após esse momento foram propostas ações para a construção da greve e para a manifestação do dia 15/03. Ações para alertar a sociedade sobre a necessária e urgente luta contra a reforma da Previdência Social, quais sejam: 
 • No dia 15/03., Concentração da categoria no dia às 08h na Catedral Metropolitana; • Promover palestras e discussões sobre a Reforma nas instituições com as famílias e comunidade. Para isso haverá formação dos interessados em realizar essas ações; 
• Gravar um vídeo com a advogada Maytê Feliciano sobre a Reforma da Previdência Social para divulgação nas instituições;
 • Listar as instituições que irão paralisar no dia 15/03; Realizar visitas nas instituições para entrega de cartazes/ panfletos sobre a paralisação no dia 15/03, em locais necessários fazer o trabalho de esclarecimento do grupo;
 • Elaborar cartazes e faixas para o dia 15/03; 
 • Distribuir no dia 15/03 os panfletos utilizados na Assembleia; • Produzir um panfleto com as perdas, ganhos, informações sobre o piso, concurso, auxiliares, para serem entregues nas passagens em escolas. 
 • Divulgar nas mídias os materiais já produzidos de denúncias dos deputados que são favoráveis a Reforma; 
 • Fazer mais camisetas para venda; 
 • Mobilização da categoria para ir à Brasília nos dias 28/03 (terça-feira) e no dia 06/04 (após a Assembleia). Outras propostas serão deixadas como ponto de pauta para a pré assembleia, sendo elas:
 • Definição de uma metodologia para contagem de votos quando a categoria apresentar-se dividida;
 • Repensar no tempo da Assembleia e no momento para os informes serem feitos para que todos tenham conhecimento dos mesmos. Organização para a Manifestação do dia 15/03/2017

ATO NACIONAL CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA 15.3.17

ATO NACIONAL CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA 
DIA : 15.3.17 Quarta - feira 
HORÁRIO: 8 h 
Local: Concentração na Praça da Catedral Metropolitana de Goiânia Imprima o cartaz e cole na sua instituição.

REUNIÃO COM O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO 9.3.17

No dia 09 de março o SIMSED se reuniu com o secretário de educação para cobrar um posicionamento sobre a pauta de reivindicações dos trabalhadores: Administrativos, Auxiliares educacionais, Concursados e Professores, conforme decisão da assembleia. Ele falou que vai apresentar em breve uma resposta da prefeitura sobre a pauta de reivindicações apresentada pelos trabalhadores. O SIMSED cobrou um posicionamento da SME, apresentando um calendário para o cumprimento das reivindicações apresentadas ao secretário de educação. Professor Marcelo e que existe uma assembleia com indicativo de greve para o dia 06 de abril. O SIMSED também questionou o ofício enviado para as escolas sobre a reposição. O secretário informou que foi um erro da funcionária do departamento e que esse ofício não tem mais validade, apenas para as instituições que haviam decidido antecipadamente a reposição. O SIMSED reforçou que a reposição não pode ser uma imposição da SME e que vamos discutir coletivamente depois do término da nossa jornada de luta.

quinta-feira, 2 de março de 2017

COMO VAI FICAR A APOSENTADORIA DO PROFESSOR?


Na última quinta-feira 23.2.17 aconteceu um debate sobre a contra-reforma da previdência, evento organizado pelo SIMSED. A advogada previdenciária Maytê Feliciano, uma das expositoras, fez uma análise muito profunda e didática, onde trouxe elementos que todos precisam saber. Selecionamos alguns trechos nos vídeos abaixo, em que ela trata sobre os impactos da reforma para os professores. Ela demostra que não vai ter mais aposentadoria integral, que mesmo aos 75 anos, idade da aposentadoria compulsória, os professores só vão conseguir aposentar recebendo apenas 91% do salário.
A outra expositora foi a professora Ângela Mascarenhas, que fez análise  mais sociológica da nossa realidade.
Confira o vídeo e os slides apresentados pela professora Maytê Feliciano, com excelentes dados que desmentem a farsa do rombo na previdência e comprova que na verdade há um superávit das contas da previdência.
Temos que lutar!!

 Assembleia geral dos trabalhadores da Educação no dia 08/03/17 quarta-feira, às 8 h na SME.

video