sexta-feira, 22 de setembro de 2017

ABAIXO O FECHAMENTO DO BASILEU FRANÇA POR CULPA DA CORRUPÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS!



MARCONI A CULPA É SUA!


O Instituto Basileu França é o retrato da política privatizante aplicada pelo governador Marconi Perillo.

A Justiça suspendeu o contrato com a Organização Social que administra a instituição, devido a corrupção própria desse modelo de gestão. As Organizações Sociais apadrinhadas demonstram os seus verdadeiros objetivos mais uma vez, o que demonstra a falência da administração através das Organizações Sociais.


Hoje, cerca de 80% dos trabalhadores do Instituto Basileu França são contratados pela Organização Social. Como o contrato com a OS foi interrompido judicialmente, a instituição não tem condições de continuar a atender os estudantes matriculados.


É de inteira responsabilidade do governador Marconi Perillo o caos no Basileu França. Por isso é ele que precisa resolver, sendo o único caminho o de não colocar uma nova OS dos apadrinhados e cuidar do Basileu França da forma que o povo goiano quer.


ABAIXO AS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS (OS)!
PELA REABERTURA DO BASILEU FRANÇA!

IRIS E MARCELO CALOTEIROS, NÃO ESTÃO PAGANDO A REPOSIÇÃO


O prefeito Iris Rezende e o secretário Marcelo Costa demonstram mais uma vez a sua política contra os trabalhadores da educação. Além de terem ordenado o injusto corte de ponto e não ter cumprido a decisão judicial referente ao corte de ponto, continuam desrespeitando a lei ao não pagar pelos dias repostos. Trabalhadores de várias escolas repuseram as aulas em maio, junho e agosto e não receberam por esse trabalho.


Diante de mais um desrespeito, os advogados do SIMSED entraram com uma ação na Justiça exigindo o pagamento da reposição das aulas.


Os autos foram distribuídos para a 3ª Vara da Fazenda Pública Municipal, Drª JUSSARA CRISTINA OLIVEIRA LOUZA, com número  5339074.25.2017.8.09.0051.


Não aceitaremos nenhum direito a menos e não permitiremos nenhum calote contra os trabalhadores! Se você está com algum problema semelhante, procure o SIMSED e venha para a luta.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

AVALIAÇÃO SOBRE O ATO NA CÂMARA MUNICIPAL





Nesta última quinta-feira, dia 14 de setembro, as/os servidoras/es administrativos da educação e as/os auxiliares de atividades educativas compareceram em peso na Câmara Municipal para denunciar os golpes atrozes que essa prefeitura e a SME têm lançado contra seus direitos conquistados.




O Simsed entrou com uma Ação Civil Pública contra a retirada da data-base desses servidores, após 3 meses já concedida pela prefeitura. Estavam pagando um valor irrisório de 2,94%, somente conquistado por conta da dura greve que parte da categoria enfrentou. É pouco, mas foi uma conquista da greve e é inadmissível a sua retirada.




Da mesma forma acontece com os novos auxiliares. Tomaram posse e não estão recebendo os 30% de auxílio, mesmo existindo uma lei que foi conquistada com a greve de 2015.




Como uma das atividades da luta, por não admitir mais esses golpes, o Simsed convocou a categoria, em especial, os TAEs e AAEs, para realizarem uma denúncia na Câmara Municipal contra o calote.




Essa atividade foi extremamente positiva, no sentido de ser uma ação de mobilização e politização da categoria, e principalmente, por demonstrar ao prefeito Íris Rezende e ao secretário da educação Marcelo Costa,  que a categoria não se ajoelhará.




Na tribuna livre os servidores fizeram inúmeras denúncias das mazelas que estão ocorrendo na educação e cobraram o pagamento da data-base e do auxílio para as/os novas/os auxiliares. Claro que os vereadores já têm ciência de todas elas, mas somente com a força política da categoria é que se veem obrigados à se movimentarem.





Embora tenha sido um movimento expressivo, a categoria tem que continuar se organizando, pois sabemos que os planos dos governantes, em todos os níveis, são contrários aos interesses  do povo, como estamos vivenciando nesse município, no estado de Goiás e no governo federal.




A luta é o único caminho para barrar todos os golpes aos direitos dos trabalhadores e a ação na Câmara Municipal demonstra que a luta e a resistência irão continuar.




IRIS E MARCELO CALOTEIROS, TIREM ÀS MÃOS DOS MEUS DIREITOS!

domingo, 17 de setembro de 2017

DEFINIÇÕES DA REUNIÃO DOS ADMINISTRATIVOS E AUXILIARES



No dia 16 de setembro de setembro aconteceu uma reunião dos administrativos e auxiliares na Faculdade de Educação da UFG.

Essa reunião foi muito importante, pois foi realizada uma avaliação sobre a intervenção na Câmara Municipal e definido os próximos passos da luta.

Todos os presentes avaliaram positivamente a intervenção na Câmara Municipal. Foi um ato que conseguiu agregar uma parte da categoria, mas é preciso intensificar o trabalho de mobilização para conquistar mais adesão dos trabalhadores.

Depois, os trabalhadores discutiram a necessidade de continuidade da luta. Foi realizado um longo debate e os presentes chegaram à conclusão de que é preciso realizar novo ato na Câmara Municipal. O dia escolhido foi o 05 de outubro, que é uma data que vai nos dar tempo de mobilizar a categoria de administrativos e auxiliares. Foi discutido que esse ato terá o objetivo de cobrar um posicionamento dos vereadores sobre as reivindicações apresentadas pelos trabalhadores no ato do dia 14 de setembro.

Sobre a Pauta de reivindicações, os presentes chegaram a conclusão de que as bandeiras centrais são: PAGAMENTO DA DATA-BASE e PAGAMENTO DOS 30% DE ADICIONAL PARA OS AUXILIARES. Porém, todos os outros pontos da pauta dos administrativos e auxiliares será reivindicado. Posteriormente iremos divulgar a Pauta Completa da Greve!

Ajude a mobilizar a sua instituição para esse ato do dia 05 de outubro. A luta é de todos nós e conquistaremos os nossos direitos apenas com luta!